Curso de vigilante online: esse trabalho é para você?

Com o aumento do número de roubos, muitas empresas investem mais e mais no setor de segurança. Quando se tem um grande patrimônio, seja ele material ou não, é sempre interessante tomar medidas preventivas. Diante desse cenário, uma profissão vem ganhando cada vez mais mercado: a de vigilante.

Com salários iniciais na faixa de R$1283,00, o vigilante é treinado para proteger um patrimônio, seja privado ou público. Esse profissional sabe como lidar em situações em que a maioria das pessoas se sentiria perdida ou assustada, mantendo a calma e preservando a ordem.

O curso de  vigilantes forma um vigilante patrimonial, mas o profissional pode se especializar com cursos de extensão e abrir novas portas. Ele pode, por exemplo, se especializar em transporte de valores e trabalhar num carro-forte.

Se você pensa em seguir essa carreira, confira a seguir algumas informações sobre a profissão. Você conhecerá um pouco da história dos vigilantes, como é a atuação deste profissional e o que é necessário para se tornar um deles.

A história dos vigilantes

Desde que o homem possui bens materiais, há aqueles que os roubam ou destroem. Por isso, praticamente desde o início da civilização, há pessoas designadas à proteção de um patrimônio e também de outras pessoas. Essas pessoas são os vigilantes.

Na Idade Média, havia guardas que eram pagos e treinados para proteger as propriedades de seus senhores. Através da luta corporal e das armas brancas, as sentinelas — os vigilantes da época — protegiam terras, cidades e estabelecimentos contra saqueadores.

Já no velho oeste, no século XIX, foram criadas as primeiras companhias de segurança. Isso foi em grande parte devido ao aumento no trânsito de mercadorias durante a corrida do ouro, entre 1848 e 1855. Era necessário proteger as carruagens de bandidos e arruaceiros, e naquela época surgiram as primeiras companhias de transporte de valores.

No Brasil, durante o período da ditadura militar, certos grupos políticos radicais realizavam grandes assaltos a bancos para financiar sua luta contra o governo. Foram criadas então guardas para assegurar a segurança das instituições financeiras, formadas por militares.  Nessa época os direitos dos vigilantes eram poucos, e não havia regulamentação de suas atividades.

Em 1969 e 1970 vieram decretos que regulamentavam a segurança bancária, e em 1976 foi fundada a primeira Associação Profissional dos vigilantes. A classe foi ganhando mais direitos, como jornada e piso salarial definidos, e nesse processo, influenciado pelos sindicatos, foi se desmilitarizando.

Enfim, em 1983, veio a lei nº 7102, regulamentando a atividade do setor de Segurança Privada em todo o Brasil. As associações se tornaram sindicatos em 1985, e em 1992 foi criada a Confederação Nacional dos Vigilantes e Prestadores de Serviços (CNTV-PS).

A CNTV hoje abrange cerca de 1 milhão de trabalhadores, e regulamenta a atividade de profissionais como vigilantes patrimoniais, seguranças pessoais e brigadistas de incêndio privados. Os responsáveis pela formação desses trabalhadores também são agregados pela CNTV.

Curso de vigilantes online: A profissão essencial nos dias de hoje

curso de formação de vigilantes

Atuação

Primeiramente, deve-se diferenciar o vigilante do vigia. O vigia é responsável pela limpeza e conservação de seu local de trabalho, como faz, por exemplo, um porteiro. Os vigias não podem utilizar armas, e também não precisam de um curso de vigilantes online.

O vigilante, por sua vez, exerce uma função de vigilância e/ou segurança, e pode portar armas em serviço. Esse profissional precisa ser formado em um curso autorizado pela Polícia Federal, que lhe garante um documento chamado Carteira Nacional do Vigilante (CNV).

Depois de formado, se quiser se especializar, o vigilante pode fazer cursos de extensão. Esses cursos permitem trabalhar em outros setores, como o transporte de valores, escolta armada, segurança de grandes eventos, segurança eletrônica e segurança pessoal.

Capacidades

O profissional da área, durante sua formação, é capacitado em diversos aspectos, como:

  • compreensão dos direitos fundamentais do ser humano;
  • realização de uma vigilância dinâmica e alerta;
  • preservação patrimonial;
  • preservação da integridade do ser humano;
  • antecipação de ocorrências danosas, de modo a impedir ou minimizar seus efeitos;
  • manuseio correto e consciente de armamento letal;
  • técnicas adequadas para defesa própria ou de outrem;
  • identificação de condutas ilícitas;
  • primeiros socorros;
  • proteção ao meio ambiente;
  • medidas iniciais de prevenção e combate a incêndios;
  • outras capacidades, que podem variar dependendo da escola de formação.

Além disso, cursos extras podem adicionar capacidades relacionadas a escolta, armas não-letais, transporte de valores, aparelhos eletrônicos específicos, combate a incêndios e outros assuntos.

Remuneração

curso de formação de vigilantes remuneracao

 

O vigilante patrimonial não tem um piso salarial único em todo o país, de modo que o piso varia de acordo com o estado.

Segundo a CNTV, a média de piso salarial em 2017 ficou em volta de R$1283,01. O estado de Roraima tem o menor piso, de R$980,54, enquanto o Distrito Federal tem o maior, de R$2012,65. Em São Paulo o piso é de R$1446,40, e no Rio de Janeiro é de R$1365,60.

Os valores podem aumentar dependendo da empresa contratante ou da periculosidade do serviço. Especializações da profissão também podem oferecer salários maiores: no DF, um vigilante motorista de carro forte, por exemplo, tem piso salarial de R$3591,18.

O site da CNTV tem uma seção especialmente reservada para os salários. Se tiver curiosidade em saber os diferentes pisos salariais para o seu estado, acesse a página de negociações coletivas.

Conheça o curso de vigilantes online clicando aqui

Como se tornar um vigilante

Requisitos

Antes de poder trabalhar como vigilante, o candidato deve atender aos pontos abaixo:

  • ser brasileiro nato e possuir CPF;
  • ter ao menos 21 anos de idade;
  • ter estudado ao menos até 4º série do ensino fundamental;
  • estar em dia com a justiça eleitoral;
  • estar em dia com as obrigações militares;
  • não ter antecedentes criminais ou estar sendo processado criminalmente;
  • ter passado nos testes de saúde física e mental, aprovados pelos órgãos competentes;
  • possuir Carteira Nacional de Vigilante.

Perfil

Mesmo sendo cumpridos todos os requisitos, o candidato deve se perguntar se a profissão será agradável para ele. A função de vigilante é realizada por pessoas de todos os tipos, mas é mais recomendada a quem tem um certo perfil. Um profissional dessa área geralmente:

  • tem a capacidade de manter uma postura respeitosa em locais públicos;
  • é proativo, ou seja, pronto para tomar qualquer ação necessária para prever ou diminuir alguma situação danosa;
  • é capaz de trabalhar em equipe, já que muitos lugares contratam mais de um profissional;
  • trata as pessoas respeitosamente e com dignidade;
  • é discreto e sigiloso;
  • é honesto e responsável, uma vez que tem como principal função a proteção de um bem;
  • é alerta e dinâmico;
  • tem uma mente calma e sabe se controlar, principalmente devido ao porte de arma;
  • tem disciplina, tanto para manter a forma física como para manter na mente o que aprendeu no curso de vigilantes online;
  • é corajoso, uma vez que está sujeito a situações perigosas.

Os itens acima são desejáveis, mas são não obrigatórios a nenhum vigilante. No entanto, caso você perceba que muitos dos pontos citados não correspondem ao seu perfil, talvez seja interessante considerar outros caminhos profissionais.

O curso de vigilantes online

curso de formação de vigilantes onde fazer

 

O primeiro cuidado ao escolher um CFV (curso de vigilantes) é verificar se o curso é aprovado pela Polícia Federal. O curso deve ter ao menos 180 horas-aula de duração, e qualificará o aluno com as competências necessárias às atividades de sua função.

Esse curso “básico” forma um vigilante patrimonial, ou seja, que tem como função a proteção de bens patrimoniais. O trabalho desse profissional geralmente envolve a “guarda” de algum lugar, como shoppings, escolas, condomínios, etc.

Mas além desse curso inicial, o vigilante pode fazer também cursos de extensão, que o permitem trabalhar nas seguintes áreas:

  • transporte de valores, podendo atuar em carros-fortes;
  • segurança pessoal, de forma a garantir a segurança física de alguém;
  • escolta armada, que protege cargas.

Existem ainda cursos extras que um vigilante pode fazer, de modo a aumentar seus conhecimentos e melhorar seu currículo. Esses cursos podem envolver: o manuseio de aparelhos específicos, como nos sistemas de alarmes; a ação em determinados ambientes, como instalações industriais; ou a ação em ocasiões críticas, como no caso de sequestros.

A Carteira Nacional do Vigilante

A CNV é um documento que você recebe quando se forma no curso de  vigilantes. É a comprovação de que o profissional está apto exercer sua função, e sempre que o vigilante estiver em serviço, deve obrigatoriamente portá-la.

No documento constam os dados básicos do profissional, como nome e CPF. Além disso, quaisquer cursos de extensão realizados, como escolta armada ou transporte de valores, também estarão indicados na CNV. Ela também assegura ao vigilante o porte de arma durante o serviço.

A CNV tem validade de 5 anos, e após esse período deve ser renovada mediante o pagamento de uma taxa. O profissional, no entanto, deve a cada dois anos fazer um curso de reciclagem, para manter-se atualizado tanto na teoria como na prática.

Conclusão

Um vigilante é um profissional comprometido com a segurança e a integridade física de um bem patrimonial ou de uma pessoa. Pessoas com um perfil favorável para a função são responsáveis, honestas, corajosas, zelosas e ativas.

Para se tornar um vigilante é necessário preencher alguns requisitos, como ser brasileiro nato, ter 21 anos ou mais e ter cursado pelo menos até a 4º série do fundamental. Além disso, é necessária a aprovação em testes médicos, não ter antecedentes criminais e estar quite com a justiça eleitoral e as atividades militares.

Para atuar profissionalmente, é necessária a CNV, a Carteira Nacional do Vigilante, obtida através de um curso de vigilantes online aprovado pela Polícia Federal. Esse documento tem duração de até 5 anos, sendo necessária sua renovação. O profissional também necessita de um curso de reciclagem a cada dois anos.

Se você acha que tem o perfil certo para a função e gostaria de atuar na área, não perca tempo: procure uma escola de formação de vigilantes e viva seu sonho!

 

 

 

Comments